Corrente Russa

Durante a Guerra Fria, astronautas russos passavam meses na ausência de gravidade, o que provocou grave atrofia muscular, impedindo-os, inclusive, de firmar as pernas no chão. Isto fez com que um professor de medicina esportiva, Yakov Kots, inventasse, em 1974, um aparelho capaz de recuperar a firmeza dos músculos: a Estimulação Russa, hoje utilizada em clínicas para estimular o enrijecimento e reduzir medidas.
O aparelho é um sistema computadorizado que emite impulsos elétricos aos músculos, trabalhando fibras brancas e vermelhas, responsáveis pela firmeza e sustentação do corpo. É indolor e extremamente eficiente no tratamento da flacidez, modelagem corporal e recuperação com aumento da força muscular. Não é uma ginástica passiva. O paciente participa ativamente do tratamento. É eficaz para homens e mulheres porque respeita a fisiologia muscular e o seu metabolismo trabalhando as fibras vermelhas e brancas proporcionando resultados rápidos e altamente satisfatórios.
Inicia-se o tratamento com 20 sessões, com duração de 10 a 30 minutos, realizadas duas ou três vezes na semana, podendo ser trabalhados vários grupos musculares ao mesmo tempo ou alternadamente.
As alterações cardiorrespiratórias causadas pela estimulação russa são muito baixas, dessa forma não há melhoria do condicionamento físico aeróbico, por isso as atividades aeróbicas não devem ser retiradas da rotina. Pacientes que usam marca-passo, pinos ou próteses são contra-indicados, devido às cargas elétricas emitidas pelo aparelho.
As indicações desse tipo de tratamento são:

Hipotonia muscular:

Abdome

Glúteos

Membros inferiores

Membros superiores

Região interna de coxa

Fortalecimento e aumento de tônus muscular:

Pós-parto

Pós-emagrecimento

Pré e pós-lipoaspiração

Melhora do desempenho de atletas:

Recuperação da força muscular

Melhor rendimento

Reeducação postural

Estimulação do fluxo sanguíneo e linfático

Desejo um cópia.